Atualmente a NET Serviços opera redes HFC (híbrido de fibra e cabo) em quase cem municípios brasileiros, oferecendo o chamado tripleplay (voz, dados e vídeo). A partir de janeiro deste ano, a NET Serviços assumiu a operação das redes HFC que a Embratel está instalando em dezenas de outras cidades, permitindo que ela mais do que dobre a sua base de home pass (residências onde o serviço está disponível). Some-se a isso a possibilidade de utilizar o maior backbone do Brasil (Embratel).

Talvez seja possível afirmar que o trio Embratel/Claro/NET (todas de propriedade da mexicana America Móvil) seja aquele melhor posicionado para a corrida do tripleplay brasileiro, frente aos seus principais adversários: espanhóis (Telefonica/Vivo/TVA), franceses (GVT), italianos (TIM), norte-americanos (Sky) e luso-brasileiros (Oi).

A grande incógnita para o futuro da NET Serviços é saber qual participação a Globo irá reter na empresa. Atualmente, os Marinho possuem, diretamente, 10,4% das ações ordinárias (com direito a voto) da NET Serviços. E a Embratel é dona de 38% das ações ordinárias e 97,7% das ações preferenciais da NET Serviços.

No “mercado” estão 2,3% das ações preferenciais e 0,4% das ações ordinárias da NET Serviços.

GB

Uma empresa chamada GB Empreendimentos e Participações possui 51% das ações ordinárias da NET Serviços, sendo a sua controladora. Num primeiro movimento após a aprovação da Lei 12.485, que liberou a entrada do capital estrangeiro no controle das operadoras de TV paga, a Embratel assumiu o controle da GB, com 55,5% de suas ações ordinárias e 100% das preferenciais. A Globo ficou com 44,5% das ações ordinárias da GB.

Essa engenharia acionária, contudo, difere da prática habitual do grupo América Móvil, controlador da Claro, Embratel e, consequentemente, da NET Serviços. Em todos os países onde opera, a América Móvil vem fechando o capital de suas empresas, com o intuito de manter apenas a holding listada na Bolsa de Nova York. A manutenção da Globo no capital da NET Serviços é uma clara concessão da América Móvil à família Marinho. Mas, nada impede, muito pelo contrário, que no médio prazo a participação da Globo na GB, e indiretamente na NET Serviços, venha a diminuir ainda mais.

Globo e NET Serviços: qual relação?

Outra questão importante é saber quais acordos de acionistas ligam Embratel e Globo na gestão da NET Serviços. Além de indicar parte dos conselheiros, quais outros poderes a Globo possui na operadora? Ela pode, por exemplo, vetar a entrada de canais que sejam concorrentes da sua Globosat?

Se a Globo mantiver seus 44,5% de ações ordinárias da GB Empreendimentos (indiretamente cerca de 22,7% das ações ordinárias da NET Serviços), mais 10,4% de ações ordinárias da própria NET Serviços, o direito de indicar membros do conselho de administração da NET e ainda puder vetar a compra de canais que sejam concorrentes da Globosat, isso significa que a Globo está no bloco de controle da NET Serviços? Ou pelo menos que há uma relação de coligação entre Globo e NET Serviços?

Porque, neste caso, a lei 12.485 é muito clara: a programadora dos Marinho (Globosat) deixa de ser considerada uma “programadora independente” e com isso perde uma série de vantagens que a lei lhe confere. Mas, quem vai botar o guizo no gato?

Veja a estrutura acionária completa da NET Serviços: NET