Agora, foi a vez da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) dar aquela força para a OI. A CVM acaba de autorizar a quarta tentativa da OI de simplificar sua cadeia societária, reduzindo os atuais sete tipos de ações para apenas dois.

As tentativas anteriores fracassaram porque os minoritários reclamavam que as condições de troca das antigas ações pelas novas eram profundamente desfavoráveis e beneficiavam exclusivamente os controladores. Reclamavam, também, que os comitês formados para preparar o processo de incorporação das controladas foram escolhidos apenas pelos acionistas majoritários e não por acaso acabaram aprovando regras favoráveis a estes. Entre outras queixas…

Agora, os minoritários continuam reclamando das condições desfavoráveis, mas a CVM resolveu acabar com o impasse. Assim, a autarquia permitiu que os sócios majoritários votem na assembléia do dia 27  de fevereiro que vai decidir pela incorporação.

Ou seja, os sócios majoritários definiram as regras e vão poder votar se aceitam ou não as regras que eles próprios criaram. E como são majoritários, obviamente irão derrotar os minoritários e o resultado da assembléia já é conhecido desde agora.

Como dizia a minha avó, quem tem padrinho não morre pagão!