A America Movil, empresa de telecomunicações do bilionário mexicano Carlos Slim Helu, atua em oito países da América do Sul (Brasil, Argentina, Uruguai, Paraguai, Chile, Equador, Peru e Colômbia), seis paises da América Central (Costa Rica, El Salvador, Guatemala, Honduras, Nicaragua e Panamá) e dois países do Caribe (Porto Rico e República Dominicana), além do próprio México.

Em apenas três destes mercados a empresa não utilizava exclusivamente a marca “Claro”. Agora, este número se reduz a somente dois, pois no próximo dia 26 de junho a America Móvil anunciará o fim da marca Comcel, na Colômbia. A operação não será simples, pois a Comcel está entre as cinco marcas de maior valor do mercado colombiano, é a maior operadora de telecomunicações do país e a terceira do grupo America Móvil (atrás apenas de México e Brasil). Por isso mesmo, o fim da marca Comcel revela a disposição da América Móvil em se unificar integralmente sob a marca Claro.

Agora, todas as atenções se voltarão para o mercado brasileiro, onde a América Móvil opera com as marcas Claro, NET e Embratel. Esta última perdeu recentemente suas operações de telefonia fixa e TV paga (que agora estão sob a marca Claro), restando-lhe apenas os serviços prestados para empresas. Falta saber o que a América Movil fará com a marca NET, uma das vinte marcas mais valiosas do mercado brasileiro.

Vale lembrar que a marca NET não é de propriedade da América Móvil, mas da Globopar, como já demonstramos aqui.

Outras marcas

Enquanto isso, o país de origem da América Móvil continua sendo uma exceção. Lá não apenas a marca Claro não existe como a empresa de Carlos Slim atua com duas marcas distintas, uma para a telefonia fixa (Telmex) e outra para a telefonia móvel (Telcel). Também no México, ao contrário dos demais países latino-americanos, a América Móvil está impedida legalmente de operar na TV paga (proibição que desapareceu no Brasil com a aprovação da Lei 12.485/2011).

O grupo mexicano também dispõe de uma operadora virtual (sem rede própria, que aluga a infra-estrutura de terceiros) de telefonia celular (apenas planos pré-pagos em aparelhos bloqueados) nos Estados Unidos, atuando com as marcas Tracfone, NET10, StraightWalk e SafeLink. A empresa é a maior operadora virtual dos Estados Unidos.