Não é segredo para ninguém que a Globo e as operadoras de telecomunicações fazem um pesado lobby contra a aprovação do Marco Civil da Internet. Parte importante desse lobby passa por criar o mito de que o Marco Civil favorece as empresas que atuam na Internet, como Google e Facebook. Esse mito desconsidera que estamos diante de uma proposta legislativa amplamente discutida pela sociedade civil, tendo recebido mais de duas mil contribuições.

Mas, é assim que a política funciona e esse poderoso lobby usará qualquer indício (falso ou verdadeiro, tanto faz) para criar a impressão de que estamos diante de uma proposta pró-Google. E, infelizmente, conseguiram encontrar um. O Correio Braziliense “descobriu” que o subchefe de assuntos jurídicos da Casa Civil, e também integrante do Comitê Gestor da Internet (CGI.br), Ivo Corrêa, é um ex lobista profissional do Google.

Cabe dizer que tive poucos contatos pessoais com Corrêa. Num deles, inclusive, discordamos frontalmente sobre a aliança do Google com a operadora norte-americana de telecomunicações, Verizon, em torno do abrandamento do conceito de neutralidade de redes para a comunicação móvel. Na época eu era integrante do CGI.br e ele trabalhava no Google. Mas, jamais soube qualquer coisa que desabonasse sua atuação e, até onde consigo apurar, trata-se de pessoa com conduta ilibada. Ocorre que à mulher de César não basta ser honesta, tem que parecer honesta.

Esse é mais um dos problemas causados pela porta-giratória que permite que lobistas da iniciativa privada entrem e saiam do governo, muitas vezes ocupando cargos diretamente relacionados ao lobby que exerciam anteriormente. Ou, ao contrário, como é comum em várias agências reguladoras, que ex servidores públicos terminem trabalhando em empresas que até poucos dias atrás eles  próprios regulavam. Urge disciplinar esse tipo de entra-e-sai.