(Do site do Instituto Alana)

A parceria firmada em julho de 2011 entre o Projeto Criança e Consumo, do Instituto Alana,  e o Observatório de Mídia: direitos humanos, políticas e sistemas, da Universidade Federal do Espírito Santo, tem o objetivo de traçar um quadro detalhado da relação entre publicidade, infância e consumo na televisão brasileira durante os próximos três anos.

O primeiro monitoramento dessa parceria foi realizado entre os dias 27 de setembro e 11 de outubro – nas semanas que antecederam o Dia das Crianças – por uma equipe de 25 pesquisadores coordenados pelo Prof. Dr. Edgard Rebouças (veja aqui).

Como surgiu a ideia desse monitoramento?
Em 2010, por ocasião do Dia das Crianças, a equipe do Projeto Criança e Consumo acompanhou a programação de sete canais de televisão durante 10 horas (das 8h às 18h, no dia 01/10/10), e registrou um total de 1.077 comerciais direcionados ao público infantil.
Para que tal acompanhamento passasse a ser sistematizado em forma de pesquisa científica, o Instituto Alana propôs a parceria com o Observatório da Mídia com o objetivo de aprimorar, fundamentar e incrementar o levantamento iniciado no Dia das Crianças de 2010 e traçar um quadro detalhado e longitudinal sobre o assunto.

A parceria com o Alana é de três anos. Qual será a periodicidade da pesquisa?
Serão realizados 4 monitoramentos por ano, sempre nos 15 dias que antecedem Páscoa, Dia das Crianças e Natal e durante duas semanas de um período típico do ano. Dessa forma é possível traçar um comparativo do volume de publicidade dirigida ao público infantil veiculado próximo a uma data comemorativa com uma semana em que não há um interesse especial em anunciar para esse público.

Como é feito o monitoramento?
Para a pesquisa, são monitorados 15 canais de televisão, durante 15 dias, 15 horas por dia. Para a observação e análise deste estudo, foi criado um cronograma de gravações dos 15 canais selecionados que adapta a técnica de amostragem por semana composta. Foi feita a construção de um conjunto de dias compostos, com a duração de 15 horas cada um.

O tempo de monitoramento diário (15h) foi calculado com base na Lei  nº 9.294/1996, que é única legislação que determina o horário de veiculação de publicidades proibidas para o público menor de 12 anos.  Esse tipo de publicidade não deve ser veiculado entre 6h e 21h. Essa foi exatamente a faixa de horário pesquisada.

Por que os canais são monitorados durante 15 dias?
Porque os 15 dias que antecedem uma data comemorativa contemplam o plano de mídia das empresas que têm interesse em anunciar no período. Algumas publicidades até são veiculadas antes, mas o maior esforço acontece nos 15 dias que antecedem a data comemorativa.

Quais são os 15 canais monitorados?
São seis canais generalistas – Bandeirantes, Globo, Record, Rede TV!, SBT e TV Cultura – e nove canais segmentados infantis – Boomerang, Cartoon Network, Discovery Kids, Disney Channel, Disney Junior, Disney XD, Nick Jr., Nickelodeon e Rá Tim Bum.

No período pesquisado, quantas publicidades foram veiculadas?
Foram veiculadas aproximadamente 81 mil publicidades, levando em consideração um padrão dos canais generalistas, que geralmente ocupam 20% do seu tempo diário de programação com publicidade. Por lei,  25% do tempo de programação podem ser usados para intervalo comercial.

Quanto desse total foi direcionado para o público infantil?
64% das publicidades veiculadas nos 15 canais no período monitorado falavam diretamente com o público menor de 12 anos de idade. Nos canais generalistas, isso representou 20% dos comerciais. Nos canais segmentados, esse volume sobe para 94%.

Quais foram os critérios adotados para definir a publicidade direcionada para crianças?
A inspiração foram os atributos presentes no texto do Projeto de Lei Substitutivo da deputada Maria do Carmo Lara sobre o PL nº 5.921/2001, aprovado na Comissão de Defesa do Consumidor da Câmara dos Deputados em 2008, no qual estão listados: 1. linguagem infantil, 2. efeitos especiais, 3. excesso de cores, 4. trilha sonora infantil, 5. pessoas ou celebridades fazendo apelo infantil, 6. personagem ou apresentador infantil, 7. desenhos animados ou de animação, 8. promoção com competição ao apelo infantil, 9. distribuição de prêmios e brindes colecionáveis, 10. representação de crianças, e 11. bonecos ou similares (CÂMARA, 2008). Além disso, levou-se em consideração se a publicidade tinha sido veiculada no intervalo de programas infantis.

Contato:
Júlia Magalhães – julia@alana.org.br
(11) 7638.8016 ou 3472.1604

Myrian Vallone – myrian.vallone@2pro.com.br
(11) 8378.3888 ou 3030.9404