A NET Serviços realizou, no dia 19 de março, reunião de seu Conselho de Administração. Entre outras coisas, foram discutidos dois assuntos que serão objeto de deliberação da assembléia extraordinária de acionistas, convocada para o dia 05 de abril.

Discutiu-se a Oferta Pública de Aquisição (OPA) das ações ordinárias (0,6%) e preferenciais (2,3%) que estão no mercado, feita pela Embratel. Com isso, a NET Serviços anuncia também a sua saída da bolsa e o fechamento de seu capital. Assim, Embratel e Globo passarão a ser as únicas acionistas da NET Serviços.

Mas, foi aprovada, ainda, a renúncia de cinco conselheiros e seus respectivos suplentes e um membro do conselho fiscal. Entre os que renunciaram está, inclusive, um ex-ministro das comunicações do governo FHC (Juarez de Queiroz).

Os conselheiros titulares que renunciaram são: Juarez de Queiroz Campos Junior (diretor presidente da Globo.com e da Globo Filmes), Augusto Cesar Roxo de Urzedo Rocha Filho (diretor de planejamento e acompanhamento de negócios da Globopar), Gabriela Salomão Tavares (diretora de assuntos jurídicos de mídia da Globopar), Sérgio Lourenço Marques (diretor de tesouraria da Globopar) e Luiza Marinho Rabelo (herdeira dos Marinho).

Como se pode ver, todos que renunciaram são ligados à Globo. Caso não sejam substituídos por novos conselheiros da Globo, o que parece improvável, a holding dos Marinho passaria a contar com apenas 3 dos 12 conselheiros da NET Serviços: Jorge Luiz de Barros Nóbrega, Rossana Fontenele Berto, Sérgio Lourenço Marques.

E a Embratel deve aumentar dos atuais 4 para 9 conselheiros na NET Serviços.

Para os efeitos da Lei 12.485, porém, pouca coisa parece mudar. Pois manter mais de 30% do capital votante, 25% do conselho de administração e poder de veto sobre o empacotamento, claramente faz com que a Globo seja coligada à NET Serviços. O que, portanto, impede que sua programadora (Globosat) seja considerada como “programadora independente”.