Aconteceu o que já havíamos previsto neste blog.

A Abril Midia (sociedade entre a família Civita, com 70%, e os sul-africanos do Naspers, com os restantes 30%) se desfará de seu último negócio ligado ao audiovisual: a MTV. Segundo o jornal Folha de São Paulo, a Abril negocia com um grupo de envestidores a venda de suas emissoras de radiodifusão e da sede da geradora, na cidade de São Paulo. A negociação também envolve o fim do arrendamento da marca MTV, cujo contrato junto à Viacom duraria até 2018.

Segundo dados do Ministério das Comunicações, a Abril possui uma geradora na cidade de São Paulo e retransmissoras nas cidades de Maceió, Manaus, Salvador, Fortaleza, Brasília, Vitória, Belo Horizonte, Governados Valadares, Juiz de Fora, Uberaba, Campo Grande, Cuiabá, Belém, João Pessoa, Teresina, Cascavel, Curitiba, Foz do Iguaçu, Londrina, Maringa, Angra dos Reis, Rio de Janeiro, Natal, Canoas, Caxias do Sul, Pelotas, Santa Maria, Blumenau, Florianópolis, Joinvile, Lages, Aracaju, Araçatuba, Bauru, Botucatu, Franca, Jaú, Mongaguá, Piracicaba, Presidente Prudente, Ribeirão Preto, Santos, São José do Rio Preto e São Manuel.

Algumas, porém, estão arrendadas para outras geradoras, em geral evangélicas e não retransmitem a MTV. A reportagem não esclarece se a compra envolverá todas as emissoras do grupo ou apenas aquelas que atualmente não estão arrendadas.

Com isso, a Abril Mídia volta as suas origens, concentrando seu negócio quase que exclusivamente na Editora Abril. É o fracasso definitivo do projeto desenhado por Roberto Civita (o Murdoch brasileiro), que um dia sonhou em ver a empresa atuando na TV paga, na Internet e nas telecomunicações.

Não é sem motivo, portanto, que cada vez mais os Civita apostam as fichas em sua outra empresa, a Abril Educação, uma sociedade anônima com ações vendidas em bolsa.

Veja

O desespero dos Civita em evitar que a Veja seja levada para o centro do affair Cachoeira se deve, também, ao fato de que a revista é a última esperança da “famiglia” em manter a Abril Mídia como um grande grupo de comunicação no Brasil. Sem a importância política da Veja, a Abril Mídia veria o seu poder de fogo se reduzir consideravelmente.

Clique na imagem